Descubra mais sobre outros PET's da Universidade Federal da Fronteira Sul
Conheça todos os Petianos do PETCiências!!
Realização do Seminário Interno dos Programas de Educação Tutorial da UFFS! Pelo PET- Medicina Veterinária/ Agricultura Familiar Realeza-PR 2017, Clique para saber mais!

PALESTRA SOBRE SEXUALIDADE DAS PLANTAS

princeton-97827_1280

No dia 16.05.2017, aconteceu a Palestra sobre Sexualidade das Plantas, ministrado pela Profª. Dra. Carla Maria Garlet de Pelegrin.

Petiano

san-jose-92464_1280

Quer saber quem faz o Programa de Educação Tutorial PET Ciências da UFFS Campus Cerro Largo acontecer? Clique e conheça a lista de Petianos completa!.

CONSERVAS DE LEGUMES

academic-2769_1280

No dia 10 de maio a turma do oitavo ano do La Salle Medianeira realizou a atividade de conservas de legumes.

V SINPET

O grupo do PETCiências do Campus Cerro Largo participou do V SINPET, durante a Semana do Diversa, no Campus Realeza. O professor e Tutor do PET, Roque Ismael da Costa Güllich acompanhou 12 bolsistas e 3 voluntários no evento. Ele conta: “Na oportunidade nosso grupo como esforço de narrar um diálogo coletivo construído por todos, apresentamos uma instalação que denominamos de PETnarrativa, com o título: O PET e suas interações: quem é você? Quem sou eu?sendo que o convite era apenas para uma palestra minha, porém como já passa da hora de ensinarmos a autonomia e de forjarmos espaços para sua construção, eu convidei o grupo todos e egressos do programa para responderem a pergunta o que é o PET para você?, depois sistematizamos por meio de uma narrativa que foi apresentada como instalação coletiva no evento, de modo que todos, de fato, tivessem vez e voz”.

A Tessitura: Homenagem a Profª Drª Rosangela Uhmann

Na manhã do dia 31 de outubro de 2017, o PETCiências realizou a abertura do Ciclos Formativos no Ensino de Ciências. No encontro foi realizado o diálogo e apresentação do livro-tese da Profª Drª Rosangela Uhmann, uma das professoras colaboradoras do grupo PET. A aluna do PETCiências Rafaela Günzel, orientanda de pesquisa da Profª Rosangela, realizou a abertura com um momento cultural poético, recitando uma poesia de sua autoria dedicada a orientadora e a sua tese apresentada em forma de homenagem com um vídeo de fotos da carreira/vida da professora. O livro trás a questão da avaliação e está intitulado “O Professor em Formação no Processo de Ensinar e Aprender ao Avaliar”. A poesia escrita pela petiana Rafaela foi inspirada na obra, que tem como metáfora a tessitura dos fios. A poesia a seguir expressa um pouco sobre o livro que tece muitas reflexões e diálogos sobre a avaliação, um assunto tão presente nos processos educacionais.
A Tessitura
Rafaela Engers Günzel

No tecer da roca os fragmentos fibrosos são unidos
Transformando-se em fios compridos
Os fios se laçam e entrelaçam numa contínua tessitura
No emaranhado um tecido é formado.
O nascer é o início da nossa tessitura.
Os finitos fios de nossa vida
Entrecruzam-se com de outras vidas
Em infinitos encontros e desencontros.
A junção dos fios vai construindo nosso tecido
Com as contribuições de outros fios
Assim nossa tessitura vai se formando.
Ah! Os lindos fios da docência...
Formam tecidos que encantam já na infância
E espelham a nossa tessitura.
Caminhos e anseios vão surgindo
E o nosso tecido se formando.
A formação, não é alheia de falhas...
Julgamentos de qualidade são inevitáveis.
Encantadora docência, minha e tua,
É preciso avaliar!
Mas o que é avaliar?
Como vou avaliar? Que métodos usar?
Avaliar para ensinar melhor.
Avaliar para aprender melhor.
Costurar os fios da avaliação
Durante o processo e as interações.
Respeitar os diferentes fios
Na vez, voz e tempo de cada um.
Avaliar é compreender...
O contexto, as diferenças e as formas.
Preocupar-se com o avaliar é necessário
Pois na tessitura da docência,
Eu avaliarei. Tu avaliarás...
Ele avaliará. Nós avaliaremos...
Vós avaliareis. Eles avaliarão...
Na cobrança deste conjugar
Teremos que quantificar.
Aprovar ou Reprovar?
Reproduzir ou Recriar?
Ah! Minha doce professora,
Que bom que seu fio veio nos ajudar!

Cenário político e avaliação da educação tutorial são temas de abertura do V SINPET

Como parte da programação da Semana do Diversa, nesta sexta-feira (10), foi iniciado o V Seminário Interno dos Grupos do Programa de Educação Tutorial (SINPET) da UFFS. O evento, que este ano acontece no Campus Realeza, busca fazer um diálogo com estudantes-bolsistas, professores-tutores, colaboradores e membros do Comitê Local de Acompanhamento e Avaliação (CLAA) frente ao atual cenário político, além de avaliar as atividades da educação tutorial e promover a interação entre os grupos PET.
O evento iniciou com as apresentações dos cinco Programas de Educação Tutorial (PETs) da UFFS que estão em atividade nos campi Realeza, Laranjeiras do Sul, Chapecó, Erechim e Cerro Largo. Também foi momento de avaliação, já que o SINPET é um evento de caráter científico, pedagógico e administrativo da comunidade petiana.

Oque é o PET?

O PET sou eu, Kelly Callegaro, ex-petiana, mestranda em Ambiente e Tecnologias Sustentáveis pela UFFS Campus Cerro Largo. O PET é um programa de formação diferenciada e abrangente, pois o estudante tem a oportunidade única de trabalhar com a tríade acadêmica, ou seja, realizar atividades de ensino, pesquisa e extensão universitárias. A participação no programa engloba vários projetos interdisciplinares concebidos com o propósito de contribuir com o fortalecimento do curso de Graduação e comunidade em geral. À vista disso, o período mais produtivo ao longo da minha graduação esteve associado à minha trajetória no grupo PET, no qual fui incentivada a potencializar capacidades, como proatividade e trabalho em equipe, sempre visando um objetivo mais amplo e coletivo, qual seja a consolidação das ações do programa. Com efeito, ser petiana me proporcionou muitas experiências de aprendizagem, amadurecimento e ampliação das minhas perspectivas sobre a vida acadêmica, contudo, na minha concepção, a principal relevância do PET consiste na sua capacidade de transformar (impactar) a realidade dos públicos-alvo (comunidade acadêmica ou em geral), por meio de ações comprometidas com a geração de conhecimento coletivo.

Texto de: Kelly Callegaro, Graduada  em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS; 2014), Especialização em Gestão, Licenciamento e Auditoria Ambiental pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR; 2016). Mestranda do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ambiente e Tecnologias Sustentáveis pela UFFS (2016/2). 


O ensino e a experimentação no PETCiências


Durante o segundo semestre de 2017 o grupo PETCiências vem estudando lendo e debatendo o papel da Experimentação no Ensino de Ciências.

A atividade proposta pelo tutor veio se estruturando em três etapas: A primeira com um caráter investigativo, buscou verificar com todos petianos,  á opinião prévia sobre a temática. Na segunda fase com um caráter mais problematizador, os petianos do grupo PETCências foram divididos em grupos pela qual fizeram a leitura de textos e de referenciais bem renomeados da temática,  além disso, organizaram uma apresentação e discussão com os colegas sobre esta leitura, promovendo assim, um dialogo em torno da temática. Por fim, com um caráter avaliativo todos petianos expressaram sua nova concepção de experimentação a partir das leituras e discussões feitas em grupo.

A Importância da Pesquisa no PETCiências

Durante o ano de 2017 os bolsistas e voluntários do PETCiências da Universidade Federal da Fronteira Sul - Cerro Largo, conseguiram atingir muitas das suas metas em relação a pesquisa, que é um dos eixos que o programa PET busca desenvolver.
Foram muitos os bolsistas que conseguiram publicar suas pesquisas em revistas renomadas, como exemplos podemos citar, as bolsistas Katia Slodkowski, que conseguiu publicação com Qualis A1, Franciele Siqueira com um A2, Kélli Mattos e Aline Walczak com um B1. O que prova que o programa vem sendo muito efetivo à medida que os artigos vêm sendo publicados cada vez com Qualis mais elevados. Podemos perceber através do programa que a inserção do aluno de graduação em projetos de pesquisa se torna um instrumento valioso para aprimorar qualidades desejadas em um profissional de nível superior, bem como para estimular e iniciar a formação daqueles mais vocacionados para a pesquisa. Vale ressaltar que todas as pesquisas são voltadas para a educação e o ensino uma vez que todos os cursos envolvidos no PETCiências, Física, Química e Biologia, são licenciaturas.

Durante esse semestre, por exemplo, a Bolsista Daniele Bremm, está desenvolvendo uma pesquisa baseada nas narrativas de professores de ciências em formação, a fim de constatar como ocorre o processo de formação-ação destes sujeitos. Para este fim a mesma realizou a coleta de excertos de dez diários de bordos de alunos que estiveram em formação inicial e participando do projeto PIBID durante o ano de 2013. Através desta análise foi possível perceber o movimento formativo pelo qual os licenciandos passavam durante a formação inicial, principalmente em relação aos tipos de reflexão encontrados em seus diários, que foram categorizados em: descritivos, analítico-explicativo e reflexivo-valorativo, segundo os níveis de reflexão de Porlán e Martín (1997). Foi perceptível também que à medida que os licenciando mais escreviam, o nível de suas reflexões ia avançando, se tornando valorativas, e nos casos em que os licenciandos faziam pouco uso das memórias narrativas no diário de bordo, o nível tendia a permanecer estagnado. Provando assim a importância de se formar professore que reflitam, pois as narrativas possibilitam o crescimento pessoal e a formação de uma identidade docente.

Viajem Ambiental

Quarta-feira dia 04 de Outubro, as bolsistas Rafaela e Aléxia, junto com a professora Marisa acompanharam a turma F6 do Colégio La Salle Medianeira na Viajem Ambiental. O roteiro realizado incluiu uma série de locais a serem visitados, sendo na parte da manhã visitas em Giruá, na rota ecológica que inclui uma empresa de reciclagem de embalagens de agrotóxicos provenientes da campanha e legislação "campo limpo", um aterro sanitário também foi visitado e um galpão de reciclagem, local que despertou reconhecimento sobre a importância da coleta seletiva.
 Na parte da tarde as visitas foram em Santo Ângelo, na Corsan os alunos tiveram uma aula sobre como é realizado o tratamento da água e do esgoto. No final do passeio visitamos o Museu ferroviário.


Jogo de Andar

No dia 16 de agosto, quarta-feira, a bolsista Daniele Bremm desenvolveu, no período da tarde na escola Eugênio Frantz, com os alunos do oitavo ano um jogo tendo como tema os três sistemas: endócrino, nervoso e sensorial. O jogo consistia em uma trilha nas qual as casas eram colocadas ao chão, e iam de 1 a 100, entre elas haviam casas de perguntas e algumas de volte ao início. Os participantes foram divididos em quatro grupos e deveriam escolher um representante que jogaria o dado e andaria pela trilha, esses representantes recebiam coletes para diferenciar cada grupo com uma cor. Em seguida os quatro escolhidos tiravam na sorte para ver quem iria começar o jogo e lançar o dado primeiro. O jogo objetivou rememorar o conteúdo dos sistemas e foi bem eficiente, uma vez que os grupos deveriam pensar em equipe, além de prestar atenção nas perguntas e respostas dadas pelos demais grupos, pois o membro de sua equipe poderia vir a cair na mesma casa. Assim ocorreu uma grande sistematização de conhecimentos pelos alunos, percebemos que a maioria erava as questões por vergonha do próprio erro, ou seja, não respondiam por medo de errar, então passamos a encoraja-los, e o jogo atingiu mais o seu objetivo a rememoração de conceitos passados antes das férias
Direitos Autorais © ­PET Ciências | Hospedado em Blogger
Desenvolvido por Viva Themes | Tema do Site por New Blogger Edição por Blog no Mundo